Free Love and Other Stories

Free Love and Other Stories A Teenage Girl Finds Unexpected Sexual Freedom On A Trip To Amsterdam A Woman Trapped At A Dinner Party Comes Up Against An Ugly Obsession The Stories In Free Love Are About Desire, Memory, Sexual Ambiguity, And The Imagination In The Harsh Light Of Dislocation, The People In Them Still Find Connections, Words Blowing In The Street, And Love In Unexpected Places Ali Smith Shows How Things Come Together And How They Break Apart She Disconcerts And Affirms With The Lightest Touch, To Make Us Love And Live Differently

Ali Smith is a writer, born in Inverness, Scotland, to working class parents She was raised in a council house in Inverness and now lives in Cambridge She studied at Aberdeen, and then at Cambridge, for a Ph.D that was never finished In a 2004 interview with writing magazine Mslexia, she talked briefly about the difficulty of becoming ill with chronic fatigue syndrome for a year and how it for

➾ [Download] ➾ Free Love and Other Stories By Ali Smith ➳ – Salbutamol-ventolin-online.info
  • Paperback
  • 149 pages
  • Free Love and Other Stories
  • Ali Smith
  • 15 April 2018
  • 9781860491900

10 thoughts on “Free Love and Other Stories

  1. says:

    This 1995 collection was Ali Smith s first published work, and is a very accomplished work Many of her stylistic trademarks are already present The stories are playful, their protagonists often rebel against conformist expectations and the imagery is often startling.I particularly enjoyed the third story Text for the Day in which a bibliophile woman deserts her flat, rereading books from her collection sent by a friend, and scattering their pages wherever she travels.

  2. says:

    Then she pushed the board right up and wrote in large letters, bangles jangling in the silence, the words Look Upon The World With Love Then she sat down at the table Free Love is an early collection of Ali Smith s short stories it was published in 1995 and contains the following Free love A story of folding and unfoldingText for the day A quick one Jenny Robertson your friend is not comingTo the cinemaThe touching of wood Cold ironCollegeScaryThe unthinkable happens to people every dayThe world with love I marked my personal favourites but unlike other collections there weren t as many stories in this one that have stuck with me Even though Free Love is an early collection, there is visible brilliance in these stories It is just that they are not moving with the same momentum or creating the same level of impact as some of the later stories And yet, I cannot help but feel that some of the stories are personal to the author than her later work.

  3. says:

    Ali Smith n 1962 A minha paix o pelos contos come ou quando li, essencialmente, dois escritores norte americanos Raymond Carver com dois livros De Que Falamos Quando Falamos de Amor e Queres fazer o favor de te calares e Flannery O Connor com outros dois livros Um Bom Homem Dif cil de Encontrar e Tudo o Que Sobe Deve Convergir.Nos ltimos anos, a escritora canadiana Alice Munro , os escritores norte americanos Lydia Davis e Richard Yates , e o escritor noruegu s Kjell Askildsen s o as minhas prefer ncias na rea da narrativa curta, em leituras altamente gratificantes.Esta colect nea de doze contos da escritora escocesa Ali Smith n 1962 foi publicada pela primeira vez em 1995.Os contos de Amor Livre exp em hist rias sobre o amor e sobre os desas, mas igualmente, sobre o desejo e a descoberta da sexualidade, nas suas m ltiplas vertentes e sobre a paix o partilhada pela natureza, pela literatura , pelo cinema, pela cultura popular, entre outras tem ticas Destaco quatro contos Amor livre, Um texto por dia, Uma rela o breve e Tocar na madeira Amor Livre e Outras Hist rias uma excelente primeira abordagem para a obra liter ria de Ali Smith sem d vida uma das escritoras mais sens vel e imaginativa no panorama liter rio actual view spoiler 1 Amor livre 5 um conto excepcional Um relato da primeira vez que Suzi, um jovem adolescente de dezoito anos, vai para a cama com uma prostituta no red light district em Amesterd o Fascinada por um pequeno an ncio numa porta Amor para homens tamb m para mulheres Suzi 3 andar No final a experiente Suzi refere que a primeira vez sempre de gra a.Depois h Jackie Mas a data do in cio do meu primeiro amor a daquele agosto em Amesterd o, um amor que ao longo de mais de cinco anos foi existindo com intermit ncias at que finalmente nos afast mos Penso nisso de tempos a tempos e sempre que o fa o a imagem que primeiro me vem cabe a a do sol com o seus raios a separarem se e a juntarem se depois nas guas de uma cidade desconhecida, e ali me vejo, livre em plena cidade, totalmente embrenhada na sua atmosfera, com um sorriso rasgado na cara e a minha carteira no bolso, ainda cheia de notas novas em folha P g 19 2 Um texto por dia 5 conta a hist ria de uma mulher chamada Melissa que uma apaixonada por livros Melissa estudou Literatura e Cultura Inglesa e tem uma biblioteca invej vel Repentinamente, Melissa come a a arrancar p ginas de livros e a espalh las pelos mais d spares lugares Uma senhora de idade fica chocada com tal atitude t o f til e t o ofensiva Que comportamento mais inexplic vel Uma medita o fascinante e comovente sobre autores, livros e literatura com in meras refer ncias a escritores e a obras liter rias P ginas flutuam sobre auto estradas e campos cultivados, p ginas desgarradas dissolvendo se em rios ou em mares, a embaterem nas sebes das zonas suburbanas, a agarrarem se s suas ra zes Fragmentos juncam no ch o um rasto que depois se espalha em v rias direc es, deslizando por entre as ruas de cidades estrangeiras, amolecendo na gua entrada de pequenas lojas, arremessados pelos caprichos do clima para terras verdejantes e pradarias P g 39 40 3 Uma rela o breve 5 Quando estivemos juntas da primeira vez pass vamos a vida a ter sexo Nesse tempo desembrulhavas me como se eu fosse um presente e, deleitada, demoravas te a adivinhar o que estaria l dentro eu descascava te como se descascasse uma clementina, quer dizer, como se estivesse a querer tirar lhe a casca por inteiro de uma s vez, passeando lentamente volta das sali ncias com o polegar e o dedo m nimo, passeando em movimentos circulares como para fazer sair suavemente os gomos da casca, e depois o polegar a entrar e a romper os gomos, a separ los, e todo aquele misto de excita o e autocontrolo quando ficava a suster at ao ltimo momento na minha boca o maior peda o do fruto espera que o teu gosto rebentasse na minha l ngua Pag 41 42 Este um conto sobre o prazer e sobre o sexo incondicional e descomprometido Sessenta dias de amor 4 Tocar na madeira 5 Est s sempre a apanhar pedacinhos de madeira, sempre fizeste isso, logo desde que come mos a namorar os parapeitos das janelas l de casa est o cheios de pequenos ramos que tiras das rvores e peda os de troncos que encontras ao caminhar As pedras est o mortas, disseste me uma vez quando est vamos na costa, preferias o toque da madeira As pedras n o eram sen o bocados de uma pedra maior, j morta A madeira era viva como as pedras nunca podiam ser, a vida atravessa a, era isso a madeira P g 80 Uma jovem mulher descreve quatro dias de f rias numa ilha grega com a sua namorada hide spoiler

  4. says:

    Os primeiros contos do livro adorei Adorei a simplicidade da escrita da autora e o facto que os seus contos raramente t m um ponto final, podendo haver outras possibilidades O que torna bastante interessante j que um livro de diversos as retratados de pessoas reais e a vida assimincerta Mas com alguma pena, os ltimos contos n o achei nada de especial e posso dizer mesmo que pouco ou nada acrescentaram importante referir que este livro foi escrito 20 anos atr s e aborda amor entre duas pessoas do mesmo sexo.

  5. says:

    I love Ali Smith s writing she s the perfect combination of witty, conversational, and philosophical But even though I liked all the stories in this collection, only a few are really memorable One of those, To the Cinema, is one of my favorite short stories ever if you liked The Accidental, you ll LOVE this story Basically, if you re a Smith fan, don t miss this one, and if you aren t, maybe try one of her later collections instead.

  6. says:

    Slow, disjointed and not very enjoyable.I m afraid that this is the second book by Ali Smith I have attempted to read and I only finished this one just before my patience gave out and I won t be trying any I really don t like Smith s writing style it comes across as scatty and all over the place, and makes me feel dizzy trying to keep up Not a pleasurable experience.

  7. says:

    OK, the Ali Smith marathon is over Please mop up your drool, pull up your pants, and sod off home It s been real This book is her first story collection, a little straightforwardly literary than her other works Most of the stories here are excellent, others found me yawning and itchy But I have been reading A LOT And most of that has been Ali Smith My bum and head hurts.

  8. says:

    Amor Libre es un libro de relatos escrito por Ali Smith en que el hilo conductor es cualquier tipo de amor En l, aperecen diferentes historias sobre el amor maternal, rom ntico, sexual dentro del escenario de la vida, que cada uno vive con sus propias circunstancias y formas, lo que bajo mi punto de vista es lo que hace m s especial al libro El estilo de Ali Smith me ha gustado mucho, sin duda es un estilo diferente, atrevido, innovador, con el que por desgracia al principio, me cost familiarizarme, ya que en mi caso normalmente suelo leer novelas o c mics y estos relatos est n narrados en una prosa que se acerca a lo po tico y que he sabido apreciar sobretodo al final del libro Los relatos aunque son cortos creo que cuentan lo necesario, son retazos de vidas, historias, sentimeintos, que podr an estar pasando en tu propia comunidad de vecinos sin ser tu consciente de ello, eso sin duda es lo que m s me ha cautivado de ella, la realidad expresada de una forma tan distinta y personal, haciendo las historias de otros, suyas Sin duda lo recomiendo si os gustan las historias diferentes, originales y que cuentan la vida, como pasa y los sentimientos que suceden, sin necesidad de ser etiquetadas, solo experiencias.

  9. says:

    Ali Smiths debuut We schrijven 1995, de wereld zag er gans anders uit maar ook toen schreef ze al geweldig Desondanks slechts vier sterren omdat er weliswaar naar Smith standaarden enkele mindere verhalen in staan Maar ook het mooiste kortverhaal dat ik al gelezen heb, Text for the day En nog enkele pareltjes Een ander auteur had toch die vijf sterren van mij gekregen, maar ik kan duidelijk niet objectief meer oordelen over Ali Ze is toch de enige auteur die me toch telkens weer goed doet voelen De wereld ziet er altijd een beetje mooier uit na een verhaal van haar.

  10. says:

    Das 12 hist rias, destaco, por exemplo Amor Livre , sobre a primeira vez de uma rapariga, com uma prostituta em Amesterd o Um Texto por Dia , sobre uma rapariga que espalha folhas rasgadas de livros pelo mundo Uma Rela o Breve , sobre sessenta dias de uma breve, mas intensa rela o eu descascava te como se descascasse uma clementina, quer dizer, como se estivesse a querer tirar lhe a casca por inteiro de uma s vez, passando lentamente volta das sali ncias com o polegar e o dedo mindinho, passando em movimentos circulares como fazer fazer sair suavemente os gomos da casca e Ao Cinema , sobre uma mulher casada que trabalha no cinema aos domingos de manh , em dia de cl ssicos Mas todas merecem uma releitura, v rias, at.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *