Gloria in Excelsis - As mais belas histórias portuguesas de Natal

Gloria in Excelsis - As mais belas histórias portuguesas de Natal Adquiri Gloria in Excelsis As Mais Belas Hist rias Portuguesas de Natal depois de ter lido boa opini es sobre este livro e porque acho que os contos s o um excelente ponto de partida para conhecer mais autores Aqui s o todos portugueses alguns dos quais nunca tinha ouvido falar Jos Maria de Andrade Ferreira, Brito Camacho ou Jo o de Ara jo Correia , outros bastante conhecidos mas que ainda n o tinha tido oportunidade de explorar Aquilino Ribeiro, Raul Brand o ou Urbano Tavares Rodrigues Que melhor altura para ler este livro sen o dezembro Portanto, desde o in cio do m s que tenho vindo a ler alguns contos por dia, dando lhes por isso espa o para me dizerem o que t m a dizer Ali s, sendo este livro t o diverso em autores e respetivos estilos, penso que a melhor forma de o ler precisamente de forma pausada e espa ada, para poder apreci los devidamente.Este livro prop e se levar o leitor numa viagem pelos s culos XIX e XX portugueses e pela forma como o Natal tem sido vivido, atrav s dos olhos de alguns dos nossos melhores escritores Ordenado cronologicamente pela data de nascimento do respetivo autor, desde o in cio que se nota a preocupa o de incluir contos com prosa ex mia Um dos primeiros, O Pres pio, de D Jo o da C mara, foi um dos que mais gostei em poucas p ginas, consegue perfeitamente captar a solid o e a tristeza de uma crian a, num in cio de vida que se avizinha cheia de rigores e dificuldades Fiquei tamb m bastante impressionada com Conto de Natal, de Fialho de Almeida, pela sua brutalidade contrastante com os sentimentos normalmente associados poca natal cia Natal dos Pobres, de Raul Brand o, um exemplo fant stico de bela escrita, num texto que me agradou particularmente pela forma como objetos parecem observar a aspereza da condi o humana, consubstanciada na forma como os pobres vivem a quadra.Gostei de ler os dois contos de Aquilino Ribeiro, mais pela escrita do que propriamente pelo seu conte do ou desenvolvimento o meu primeiro contacto com o seu l xico rico foi uma agrad vel surpresa e deixa me com vontade de explorar mais a sua obra Outros autores que gostei de conhecer, pelo seu estilo de escrita, foi Jos Rodrigues Migu is, com dois contos inclu dos nesta colet nea O Natal do doutor Crosby e Natal Branco tamb m Domingos Monteiro foi uma boa descoberta, igualmente com dois contos, Um recado para o c u e O Regresso.Foi j perto do final que surgiu o meu conto preferido da colet nea O facto de ser de Jos Saramago n o me surpreendeu o que continua a surpreender me a forma como as suas palavras me falam ao cora o Aqui, em Hist ria de um Muro Branco e de uma Neve Preta, consegue em poucas p ginas transmitir tudo aquilo que de mais puro tem o cora o de uma crian a e a perspetiva dolorosa que saber que ele vai ser partido, uma e outra vez Queria tamb m destacar Noite de Natal, de Maria Judite de Carvalho ainda que tenha pouco que ver com a quadra natal cia, deixa a sua marca pela terr vel trag dia que narra com mestria.No final de contas, Gloria in Excelsis As Mais Belas Hist rias Portuguesas de Natal foi uma experi ncia muito positiva Como natural em livros de contos, ainda para mais vindos de autores t o variados, n o me agradaram na mesma medida, mas o que fica a ideia de uma sele o em que a qualidade da prosa e dos enredos foram fatores determinantes, tendo servido, como era meu objetivo, para conhecer v rios novos autores portugueses S por isso valeu a pena Recomendo. A crian a come a por nascer uma vez, que a de vir ao mundo, e depois continua a nascer para compreend lo n o tem outro rem dio nem h outra maneira p g 283 Hist ria de um muro branco e de uma neve preta , Jos Saramago H contos melhor que outros Alguns muito descritivos Alguns muito bons Boa leitura para as pocas de Natal. Reli tr s dos contos A noite de natal de Jos M De Andrade Ferreira A Festa do Natal a Festa das crian as e a hist ria de uma que se n o divertiu de Ramalho Ortig o Hist ria de um muro branco e de uma neve preta de Jos Saramago 3,5 Aconselhado pelo Iceman no post em que pedia para me aconselharem livros com temas natal cios, em boa hora o li Para come ar, tem contos de autoria portuguesa Alguns j tinha lido, caso dos contos de E a e de Sophia de Mello Breyner, outros deram me a conhecer, de mansinho, autores que tenho adiado conhecer, como Saramago, e outros de que nunca tinha ouvido falar, como Jorge de Sena e Jos Maria de Andrade Ferreira Junta se a isso, a variedade de temas ainda que em comum tenham o facto de as hist rias se passarem ou mencionarem o Natal O saldo mais que positivo.Confesso que espantou me a qualidade da escrita Sim, sempre desdenhei autores portugueses, n o se pode dizer que os livros que havia lido tivessem me agradado Lembro me de Constantino, guardador de vacas e de sonhos de Alves Redol que me fez desejar voltar atr s no tempo e n o pegar no livro Deve ter sido o nico livro em que senti ter perdido uma tarde para nada, mas perante o conto do mesmo autor nesta antologia sinto me tentada a reler o livro, pois parece me agora que talvez n o tivesse a maturidade suficiente para entender a hist ria de Constantino na poca em que o li com 12 ou 13 anos Ficou tamb m a curiosidade de descobrir mais dos outros autores descobertos aqui.Nem todos os contos, ou melhor epis dios porque foi isso que me pareceram epis dios de v rias vidas , me agradaram ou tocaram da mesma maneira mas gostei do facto de se debru arem e focarem diferentes temas e aspectos do Natal Alguns s o alegres, cheios de esperan a, fazendo nos acreditar no Homem e na promessa de um Salvador, mas outros h , por m, que retratam hist rias que seriam tr gicas em qualquer altura do ano, mas que por decorrerem no Natal ganham um car cter ainda mais negro, levando a uma descren a em finais felizes um livro que aconselho N o ser propriamente uma leitura para quando se quer algo leve, ainda que alguns contos sejam bem humorados, mas leva nos a pensar na quadra e no seu primeiro prop sito, no estar com a fam lia e acreditar em algo de bom, na promessa de um mundo melhor e numa verdadeira Humanidade entre Homens.Para ter na estante Fui buscar este livro biblioteca, mas sem d vida de que um livro a comprar e a oferecer A opini o em cima n o lhe faz justi a, mas a variedade de autores e de temas focados enriquece a obra e permite que seja verdadeiramente apreciado na quadra festiva, levando nos a pensar no prop sito da mesma e em como existem Natais diferentes do nosso. A Festividade Religiosa Do Pres Pio Missa Do Galo E A Sua Paralela Celebra O Secular E Jubilante Quase Sempre No Plano Da Fam Lia O Contraste Mais Ou Menos Chocante Entre Gra A E Desgra A, Ou Entre Grupos E Condi Es Sociais O Regresso De Algu M Que, Regra Geral, Estava Ausente Havia Muito A Evoca O Do Tempo E Das Viv Ncias Do Passado A Reconcilia O Entre Os Homens Por Vezes O Sofrimento, A Trag Dia Ou A Viol Ncia Numa Quadra Que N O Deveria Comport Los Quase Sempre A Ruralidade Do Meio Em Que A Ac O Decorre Nesta Colect Nea, Todavia, Com Algumas Excep Es N Tidas Como Cen Rio De Fundo, Frequente A Contraposi O Do Mau Tempo Chuva, Frio, Neve, Ventania A Um Ambiente Aconchegado E Familiar Textos De Ramalho Ortig O, E A De Queir S, Jos Maria De Andrade Ferreira, Dom Jo O Da C Mara, Abel Ac Cio Almeida Botelho, Filaho De Almeida, Brito Camacho, Raul Brand O, J Lio Brand O, Carlos Malheiro Dias, Aquilino Ribeiro, Pina De Morais, Ferreira De Castro, Jo O Ara Jo Correia, Vitorino Nem Sio, Jos R Gio, Jos Rodrigues Migu Is, Tomaz De Figueiredo, Jo O Gaspar Sim Es, Domingos Monteiro, Miguel Torga, Manuel Da Fonseca, Alves Redol, Sophia De Mello Breyner Andresen, Fernando Namora, Jorge De Sena, Maria Judite De Carvalho, Nat Lia Nunes, Jos Saramago, Urbano Tavares Rodrigues, Alexandre O Neill, Maria Ondina Braga, Isabel Da N Brega, Gra A Pina De Morais, Altino Do Tojal E Jos Eduardo Agualusa Dei mais de dois meses a ler o livro, e bem sei que o Natal j acabou h muito tempo Infelizmente Janeiro foi um m s de leituras paradas para mim Como n o queria deixar os restantes contos para o Natal seguinte, decidi acabar.Dou 3 estrelas porque h uns poucos contos que de facto adorei ler A verdade que o livro ficou muito longe das expectativas que lhe reservei Uns quantos contos nem sequer eram propriamente natal cios N o sendo um expert em Literatura Portuguesa, creio que muitas vezes Vasco Gra a Moura se deixou levar demasiado pelo seu gosto pessoal Ou isso ou, de facto, a nossa literatura n o t o rica em contos de Natal como esperava reconhe o que n o somos ingleses.Depois, a grande maioria dos contos era soturna, por vezes pesado mesmo, e apesar de ter a no o de que a Literatura adora brincar com a dicotomia que existe na poca natal cia, gostaria de ter encontrado um melhor equil brio S o dezenas de autores, mas a variedade acaba por ser fraquinha.Resumindo, tem uns poucos altos, mas bastantes m dios, alguns m dios baixos N o fiquei impressionado e chego conclus o que, se calhar, devo me virar para a Literatura Inglesa da pr xima vez que quiser explorar o que se escreve durante o Natal N o obstante, admiro imenso o trabalho de Vasco Gra a Moura e continuo a achar esta uma obra essencial no nosso pa s, apesar de n o ter correspondido a um gosto pessoal meu Deu me ainda a conhecer dezenas de escritores, dos quais vou querer ler mais.

VASCO NAVARRO DA GRA A MOURA nasceu no Porto, a 3 de Janeiro de 1942 Ap s o curso de Direito na Universidade de Lisboa, exerce advocacia entre 1966 e 1983 Eleito deputado da Assembleia Constituinte de 1975 pelo Partido Social Democrata, n o exerceu o seu mandato, mas participou nos dois governos provis rios desse ano como Secret rio de Estado, primeiro da Seguran a Social e depois dos Retornados

❤ Gloria in Excelsis - As mais belas histórias portuguesas de Natal  pdf ⚣ Author Vasco Graça Moura – Salbutamol-ventolin-online.info
  • Paperback
  • 464 pages
  • Gloria in Excelsis - As mais belas histórias portuguesas de Natal
  • Vasco Graça Moura
  • Portuguese
  • 28 February 2018
  • 9789725647486

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *